linhas de pesquisa

Religiosidade Popular e Instituição Religiosa

Estudo dos sistemas e práticas religiosas em sua diversas dimensões como a institucional, ritual, mitológica. Análise das denominações que compõem o variado campo religioso brasileiro. catolicismo, religiões afro-brasileiras, pentecostalismo entre outras. Reúne o CERNe (Estudos de Religiosidades Contemporâneas e das Culturas Negras) e o grupo de pesquisa “Religiões, Secularismo e Esfera Pública no Brasil Contemporâneo”.

Marcadores Sociais da Diferença

Estudos que focalizam a produção social da diferença por meio da articulação de categorias de "raça, gênero, sexo, idade e classe", tanto do ponto de vista da configuração de sistemas de classificação social, como de corpos e identidades coletivas.

Etnologia Indígena

Estudo das formas de vida social, das manifestações simbólicas, das relações interétnicas, da história e dos contextos ambientais dos povos ameríndios. As pesquisas no interior da linha voltam-se para diversos domínios, como: parentesco, organização social, política, xamanismo, mitologia, ritual, natureza e cultura. O CEstA (Centro de Estudos Ameríndios) reúne as pesquisas e pesquisadores nesse domínio.

Antropologia Rural

Estudo de processos sociais das formações camponesas; direito costumeiro e suas relações com o direito oficial; dimensões simbólicas e dinâmicas culturais em contexto rural. Inclui o GAIA/Antropologia Jurídica, Agrária e Ambiental.

Antropologia e História

A linha de pesquisa reúne tanto projetos de antropologia histórica, que recuam no tempo em função de temas e perspectivas antropológicas, quanto os que se voltam para um reexame da produção antropológica em perspectiva comparada, buscando localizar redes transnacionais de profissionais e ideias. Inclui o grupo de pesquisas em Etno-história.
Docentes da área:

Antropologia das Populações Afro-brasileiras e Africanas

Compreensão dos processos socioculturais das populações negras no Brasil, com especial atenção para as relações raciais, as religiões afro-brasileiras, os estudos de identidade étnica; as análises do processo colonial e das suas transformações.

Antropologia das Formas Expressivas

Reflexão sobre as especificidades das formas de expressão estética de diferentes períodos e culturas, o que compreende, entre outros tópicos, o exame das relações entre produção antropológica e estética, entre arte e etnografia. O enfoque está no ser humano que cria assim como nos processos que levam a formas de expressão inseridas em contextos culturais específicos. O estudo antropológico transcende o material que serve de suporte a estas criações (cor, madeira, pedra, som, palavras, gestos etc.), focalizando a sua organização e a intenção da qual é resultado final.

Antropologia da Política e do Direito

Estudo das dimensões políticas da vida social, focalizando a formação de comunidades políticas, a constituição de novos sujeitos de direitos, e as regras e valores que produzem a política e o direito como domínios específicos. Inclui o NADIR (Núcleo de Antropologia do Direito) e o Hybris (Grupo de Estudo e Pesquisa sobre Relações de Poder, Conflitos, Socialidades).
Docentes da área:
 

Departamento de Antropologia / FFLCH / USP
Av. Profº Luciano Gualberto, 315 - Primeiro andar, sala 1061. Cidade Universitária - São Paulo - SP - CEP: 05508-010. Caixa Postal 72042.

Telefones:
Graduação: +55 (11) 2648-0622    Secretaria da chefia: +55 (11) 3091-3718   Horário de atendimento: das 09h às 19h