Sobre o Departamento de Antropologia

O Departamento de Antropologia (DA-USP) tem buscado cultivar e desenvolver o campo de reflexão das humanidades dedicado à diversidade humana. As características dessa disciplina se refletem na variedade de temas estudados pelos pesquisadores docentes e discentes que o integram, na riqueza de interfaces disciplinares representadas nas linhas e grupos de pesquisa, nos cursos de graduação, pós-graduação, aperfeiçoamento e extensão que oferece, nos eventos que organiza.
Na graduação, junta-se aos Departamentos de Ciência Política e Sociologia para formar bacharéis e licenciados em Ciências Sociais, cujas possibilidades profissionais são das mais variadas, entre as quais: o ensino, em todos os níveis, a atuação em órgãos públicos e privados, a pesquisa, assessorias a políticas públicas. Já nessa etapa de formação os alunos podem ser integrados a grupos de pesquisa, orientados em pesquisas de Iniciação Científica e incentivados a participar da organização de eventos promovidos pelo Departamento de Antropologia.

Nota de Apoio

Nota de Apoio

O Departamento de Antropologia divulga a nota de apoio à professora Francirosy Campos Barbosa, em repúdio à violência sofrida pela antropóloga, nas redes sociais, em manifestações de intolerância religiosa, machismo e racismo.

Nota de Pesar

Nota de pesar

O Departamento de Antropologia lamenta com muita tristeza a trágica morte de Marina Kohler Harkot, formada em Ciências Sociais e doutoranda na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. O brutal atropelamento dessa jovem intelectual cicloativista e o descaso do motorista que a atropelou são uma dolorosa demonstração da importância e urgência de sua militância política e de seus estudos sobre a relação entre gênero e cidade. Os que tivemos o privilégio de conhecer Marina nos corredores da FFLCH e em sala de aula, na graduação ou na pós-graduação, nos lembramos dela como uma pessoa afável, sorridente, inteligente, dedicada e criativa. Esperamos que ela seja exemplo para muitos jovens e sempre lembrada com carinho e admiração por sua personalidade, seu trabalho e sua luta. Mais que isso, esperamos que nossa dura realidade urbana se aproxime cada vez mais de seus anseios de inclusão e justiça, e que as cidades sejam cada vez mais humanas para todas, todes, e todos. Estendemos nossos pêsames e solidariedade a seus familiares e amigos.